Uma tempestade de poeira está devastando Marte agora

Marte não é um lugar amigável para se estar agora, especialmente se você for um rover movido a energia solar. A NASA diz que uma tempestade global de poeira está se formando. A tempestade agora tem um tamanho que é suficiente para cobrir a América do Norte e a Rússia, ou mais de um quarto de Marte. Algumas regiões da superfície marciana ficaram tão obscurecidas que o dia se transformou em escuridão.

“A tempestade é uma das mais intensas já observadas no Planeta Vermelho”, disse a agência em um comunicado à imprensa. Tempestades de poeira em Marte começam com a luz do sol. À medida que o solo é aquecido por ela, as correntes ascendentes formam-se no fino ar de Marte e criam diapasões que sugam a poeira fina para a atmosfera.

Com o tempo, as nuvens de poeira crescem para abranger regiões inteiras, e essas tempestades regionais podem se combinar para formar eventos climáticos que envolvem o globo.

Durante uma teleconferência nesta quarta-feira, pesquisadores da NASA disseram que esperam que a tempestade envolva todo o planeta dentro de dois ou três dias. Da superfície do planeta vermelho, a atmosfera poderia ser vista assim, de acordo com a NASA:

5b2131b01ae6621f008b5976-1334-751

A imagem acima é uma série de imagens que a NASA simulou da perspectiva de seu rover Opportunity. As imagens mostram como o sol e o céu se parecem durante a maior parte do dia, e são baseados em fotos reais tiradas pelo rover. O ponto claro é, claro, o Sol. Parece um pouco azul devido à composição do ar de Marte (que é cerca de 1% da espessura da Terra).

O Opportunity movido a energia solar pousou em Marte em 2004 e deveria durar 90 dias, embora tenha operado por mais de 14 anos. Mas a luz agora está tão fraca no Opportunity que a NASA colocou o rover para dormir para economizar energia, já que seus painéis solares não conseguem captar energia suficiente para operar normalmente.

Se poeira suficiente cobrir os painéis solares do robô que está envelhecendo, o Opportunity pode estar em perigo, como os cientistas disseram no passado. Isso porque pode não ser capaz de alimentar seus circuitos eletrônicos o suficiente para evitar que o frio forte em Marte os danifique.

Enquanto isso, o Curiosity, está indo bem, já que funciona com energia nuclear. E também está em uma região que não é tão escurecida pela tempestade. [ScienceAlert] Confira as imagens:

5b2162ec1ae66235008b5a5d-1920-856

Natural de Conceição do Coité, na Bahia, estudante de Comunicação Social, com ênfase em Rádio e TV, trabalha com divulgação científica na internet e é o fundador do projeto Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *