Astrônomos registram buraco negro comendo uma estrela

Quando um buraco negro rasga uma estrela, nem tudo acaba sendo sugado para o esquecimento. Parte do material vira um jato espetacular – e agora, pela primeira vez, temos imagens diretas de um desses jatos se formando e se expandindo.

O evento ocorreu em um par de galáxias em colisão chamado Arp 299, que fica a cerca de 150 milhões de anos-luz de distância, cada qual com um buraco negro supermassivo em seu núcleo. Usando telescópios de rádio e infravermelho, os astrônomos observaram uma estrela em torno de duas vezes a massa do Sol se aproximar demais de um dos buracos negros supermassivos, que tem mais de 20 milhões de vezes a massa do Sol.

black hole star

A pobre estrela nunca teve uma chance de sobreviver – a força gravitacional do buraco negro a rasgou em pedaços, um processo extraordinário conhecido como um evento de ruptura das marés. Estes só foram detectados com pouca frequência, e nunca assim.

“Nunca antes pudemos observar diretamente a formação e a evolução de um jato ligado a esses eventos”, disse o astrônomo Miguel Pérez-Torres, do Instituto Astrofísico da Andaluzia, em Granada, na Espanha. Na maioria das vezes, os buracos negros estão inativos, vagando pelo espaço sem fazer nada. Algo tem que entrar em seu campo gravitacional para que eles se tornem ativos.

As observações deste evento em particular, apelidado de Arp 299-B AT1, realmente começaram em 2005. Em 30 de janeiro, o telescópio William Herschel, nas Ilhas Canárias, capturou uma explosão de emissão infravermelha do coração de uma das galáxias do Arp 299. .

E então, em 17 de julho, o Very Long Baseline Array da National Science Foundation pegou outra. Isso só foi possível graças a esses equipamentos, já que telescópios operando na luz visível não podiam vê-lo, o que significa que o Arp 299 é grosso com poeira, bloqueando a luz visível.

Os cientistas há muito acreditam que os eventos poderiam estar ocorrendo com muito mais frequência do que sabemos. O Arp 299-B AT1 fornece uma oportunidade para aprender sobre como esses jatos são formados, bem como como os buracos negros supermassivos crescem até suas enormes dimensões. [ScienceAlert]

 

 

Natural de Conceição do Coité, na Bahia, estudante de Comunicação Social, com ênfase em Rádio e TV, trabalha com divulgação científica na internet e é o fundador do projeto Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *