Tempestade solar atingirá a Terra nesta terça-feira

Um enorme buraco se abriu na coroa do Sol, o que significa que estamos oficialmente em alerta de tempestade geomagnética, com auroras que chegam através de uma imensa faixa da América do Norte. A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) emitiu um alerta para uma tempestade solar de nível G2 neste 11 de setembro. Essa é uma tempestade moderada na escala de 5 níveis, com o G5 sendo o mais alto.

Estamos atualmente indo para o mínimo Solar, o período menos ativo do ciclo de 11 anos da estrela. Isso significa muito menos manchas solares, ejeção de massa coronal e atividade solar.

Mas “buracos” ainda podem se abrir na coroa do Sol. Estas são regiões de plasma mais frias e menos densas na atmosfera do Sol, com campos magnéticos mais abertos. Essas regiões abertas permitem que os ventos solares escapem mais facilmente, emitindo radiação eletromagnética no espaço em altas velocidades.

Se o buraco está voltado para a Terra, esses ventos vêm diretamente para nós. Estamos falando de velocidades de até 600 quilômetros por segundo nos próximos dois dias.

Embora os efeitos deste ventos sejam ligeiramente mais fortes que os de uma tempestade G1, eles provavelmente passarão despercebidos pela maioria de nós. Os sistemas energia podem sofrer alarmes de tensão devido a surtos de correntes induzidas geomagneticamente, e tempestades maiores podem causar danos a transformadores, mas parece que essa tempestade será relativamente curta.

As operações de espaçonaves podem ser afetadas, pois a tempestade impede o GPS, o que significa que as correções podem precisar ser emitidas pelo controle de solo. E a propagação de rádio de alta frequência pode desaparecer em altas latitudes do planeta. [ScienceAlert]

Natural de Conceição do Coité, na Bahia, estudante de Comunicação Social, com ênfase em Rádio e TV, trabalha com divulgação científica na internet e é o fundador do projeto Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *