Astrobiologia,Estrelas

Telescópio Kepler descobre os primeiros exocometas da história

Esperamos que os cometas sejam uma característica comum da formação de estrelas, mas isso é principalmente apena uma proposta. Seu pequeno tamanho e massa impediram a detecção definitiva. No entanto, um estudo da estrela KIC 3542116, semelhante ao Sol, revelou quedas no brilho consistentes com a passagem de cometas pela face.

extra_large-1521553799-halley-s-comet

O núcleo de um cometa é do tamanho de uma cidade, mas a cauda emitida na aproximação da estrela pode ser enorme. O gás e a poeira liberados neste processo são excepcionalmente difusos, mas ainda podem bloquear uma quantidade detectável de luz.

Isto é exatamente o que Tom Jacobs viu ao estudar as observações do Telescópio Espacial Kepler da KIC 3542116, uma estrela a cerca de 815 anos-luz de distância. Seis desses trânsitos foram observados, três diminuindo a estrela em aproximadamente 0,1% e três mais sutilmente. Fazendo algumas suposições razoáveis sobre tamanho, composição e tempo de vida dos cometas, e parecem que os objetos possuem tamanho similar ao Cometa de Halley.

Com uma classificação do tipo F2V, a KIC 3542116 é um pouco mais quente e maior que o sol. No artigo publicado no Monthly Notifications da Royal Astronomical Society, os cientistas relatam uma única queda de brilho similar em outra estrela vista pelo Kepler, o que fez os pesquisadores examinarem as quedas de luz de 200.000 estrelas para encontrá-los, mas a maioria dos cometas seriam perdidos se suas órbitas estivessem no alinhamento errado entre nós e a estrela.

Os autores consideram uma série de explicações alternativas para as quedas no brilho, como manchas solares e erros de instrumentação, mas descartam cada um deles como não se encaixando no padrão observado. [IFLS]

 

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.