Estrelas,Eventos Astronômicos

Estrela da “mega estrutura alienígena” apaga seu brilho novamente

A KIC 8462852 está de volta com seus mistérios, e a humanidade permanece sem noção do que pode estar causando as mudanças na luz emitida pela estrela. As novas quedas na luz são as mais profundas observadas desde as observações originais conduzidas pelo telescópio Kepler há alguns anos. Não está claro como esta nova observação irá mudar as hipóteses atuais com o objetivo de explicar o comportamento da estrela.

construction-extra-terrestre-twitter-1000x600

O objeto é carinhosamente chamado de estrela de Tabby , em homenagem ao Dr. Tabetha Boyajian, o primeiro autor do estudo que originalmente a descreveu. O Dr. Boyajian e sua equipe levantaram uma bem-sucedida campanha para continuar observando o objeto depois que o Kepler focou em outros objetos.

“Na sexta-feira (16 de março de 2018), notamos que os últimos dados foram significativamente menores do que o normal”, escreveu Boyajian e a equipe. “Devido às más condições climáticas em todos os locais de observação, não era possível observar a estrela novamente até a noite passada. Esta é redução mais profunda que observamos desde 2013! UAU!!”, concluiu ele.

A redução no brilho foi de 4% na luz que vem da estrela. Efeitos como esse estão sendo usados para descobrir planetas passando na frente de suas estrelas, que geralmente bloqueiam uma pequena porcentagem da luz da estrela. 4% é o suficiente para impressionar, mas a estrela de Tabby no passado experimentou quedas de 15 e 22%.

As causas das quedas são intrigantes. A estrela tornou-se popular porque as pessoas estavam a bordo de uma ideia de que ela poderia estar cercada por uma megaestrutura alienígena projetada para colher o máximo de luz possível. No entanto, nenhuma evidência de tal estrutura foi encontrada.

Os astrônomos propuseram cometas como uma explicação potencial, mas a observação subsequente encontrou poucas evidências de apoio. Outra sugestão era que a estrela tinha um companheiro que poderia estar mexendo com sua luz, mas um artigo recente mostrou que uma estrela próxima não está vinculada gravitacionalmente a ela.

Uma hipótese interessante sugeriu que a causa era um grande planeta anelado precedido e seguido por muitos asteroides. Enquanto isso, a explicação mais provável coloca um anel grosso e desigual de poeira ao redor da estrela. Não sabemos como esse novo mergulho se encaixa em um desses dois cenários.

A Estrela de Tabby está localizada a 1.280 anos-luz da Terra, na constelação de Cygnus. É maior, mais brilhante e mais massiva que o nosso Sol. [IFLS]

Continue lendo...