Astrofísica,Estrelas

Por que algumas estrelas piscam no céu?

Provavelmente você já deve ter parado para observar – por pelo menos alguns minutos – as estrelas. Milhares de pontos brilhantes que parecem estar magicamente suspensos em uma vasta escuridão sem fim. Saiba que esses pontos brilhantes são grandes esferas de plasma brilhando quase ininterruptamente em algum lugar do Universo.

Screenshot_2

Essas estrelas geralmente estão a algumas dezenas ou milhares de anos-luz da Terra (um ano-luz quer dizer que a luz leva um ano para percorrer uma determinada distância). Essas distâncias, caso não fossem substituídas pela escala de anos-luz, poderiam ser pouco compreendidas pelo cérebro humano. Para você ter uma ideia, apenas 1 anos-luz quando convertido em quilômetros, fica esse número: 9.460.730.472.580,8.

Para um observador na Terra, essas estrelas muitas vezes podem parecer que estão cintilando, piscando ou até mesmo mudando de cor. Mas será que isso acontece mesmo? A resposta é não. Esse efeito é causado pela turbulência dos gases da atmosfera, dessa forma, se você fosse para o espaço, a luz daquela estrela estaria mais estática e você não notaria diferença alguma, pois no espaço não há presença de gases tão renuídos como em nossa atmosfera. Claro, poeira cósmica distante ou qualquer outro objeto no caminho da luz pode sim influenciar também, mas não tanto quanto na Terra.

Outros pontos no céu (geralmente planetas) podem não parecer cintilar porque estão próximos e brilham muito, e por isso o efeito passa despercebido.

Não acredita? Faça o seguinte teste: Localize luzes da uma cidade distante; observe-as atentamente e você provavelmente verá as luzes dos postes distorcendo em algum momento. Fatores como umidade e o ar seco podem influenciar nisso, deixando a imagem mais ou menos turbulenta.

De qualquer forma, é sempre bom parar para admirar o Universo. Afinal, temos uma pequena amostra das belezas do cosmos todas as noites bem acima de nós.

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.