Astrofísica

Objetos com órbita estranha são vistos no Sistema Solar

Os astrônomos anunciaram dois mais asteroides com órbitas hiperbólicas, ou seja, com uma trajetória em linha reta em que a velocidade dos objetos sempre excede a velocidade de escape. Ao contrário de Oumuamua, ambos certamente se originaram no Sistema Solar. No entanto, espera-se que escapem da gravidade do Sol, fornecendo um vislumbre de como tivemos visitantes de outras estrelas.

A descoberta de Oumuamua desencadeou uma disputa frenética para aprender mais sobre essa visão preciosa da galáxia. As características estranhas de Oumuamua, como a relação entre cor e comprimento, até mesmo provocaram teorias que poderia ser uma nave alienígena, embora um estudo adicional indique que isso é improvável.

Essa image mostra a órbita do A/2017 U7, o objeto que vai sair do Sistema Solar.
Essa imagem mostra a órbita do A/2017 U7, o objeto que vai sair do Sistema Solar.

Dez dias após Oumuamua, os outros objetos foram detectados com movimento que indica que passará uma vez ao redor do Sol e nunca mais retornará. No entanto, foram anunciados apenas esta semana. As interações com a gravidade de Júpiter modificaram o caminho de um dos objetos, dando energia suficiente para escapar do Sistema Solar. Um dia, em milhões de anos, poderia visitar algumas outras estrelas, assim como Oumuamua nos visitou.

Outro objeto que também é um asteroide, se originou na nuvem Oort e ganhou velocidade exata da gravidade dos grandes planetas do Sistema Solar, mas neste caso, os astrônomos esperam que outras interações gravitacionais o manterão orbitando o Sol por um tempo.

Até seis meses atrás, não tínhamos encontrado um único asteroide com uma órbita como essa; agora temos três. Isso prova que novos equipamentos de rastreamento de asteroides estão funcionando bem e, se algum outro visitante interestelar vir em nossa direção, é provável que o encontremos. [IFLS]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.