Objeto vindo de fora do sistema solar colidiu com algo misterioso

O objeto chamado Oumuamua em forma de charuto poderia ter sido o resultado de uma colisão com outro objeto. E, de acordo com os astrônomos, ele vai continuar vagando por aí pelo menos um bilhão de anos para o futuro, desde que não colida novamente.

oumuamua-floating-in-space_1024

O primeiro objeto conhecido a entrar no nosso Sistema Solar a partir do espaço interestelar, o Oumuamua têm sido de grande interesse para os astrônomos desde a sua descoberta em outubro do ano passado. É muito peculiar, uma forma nunca antes vista em um objeto de seu tipo. Há também alguma incerteza sobre o que é realmente: enquanto parece um asteroide rochoso rico em compostos orgânicos, também pode ter um núcleo gelado, como um cometa.

À medida que viaja pelo espaço – o que provavelmente têm feito por centenas de milhões de anos – também está se movendo de uma maneira estranha. Era essa a natureza exata do objeto incomum que uma equipe da Queen’s University Belfast, liderada por Wes Fraser, queria descobrir.

Ao estudar o brilho do objeto de toda a fotometria óptica, a equipe descobriu que o objeto está caindo caoticamente. Este tipo de movimento foi visto em objetos do Sistema Solar que são muito menores em forma de asteroides do que Oumuamua, e pode ser causado por vários fatores diferentes.

Entre as causas potenciais estão os torques de maré causados por encontros planetários, atividade cometária ou algo chamado efeito Yarkovsky-O’Keefe-Radzievskii-Paddack, envolvendo radiação solar e atividade térmica interna. Mas para Oumuamua, uma outra causa parece mais provável do que essas citadas.

“Em algum momento ou outro ele esteve em colisão”, disse Fraser. Oumuamua já está saindo do Sistema Solar, deve alcançar a órbita de Júpiter em maio deste ano e a de Saturno em janeiro de 2019, mas vai continuar a cair muito depois que ele sai das nossas proximidades.

Quanto a quando começou a se comportar assim, é um pouco mais difícil dizer, embora os pesquisadores acreditam que isso provavelmente aconteceu no próprio sistema solar de Oumuamua.

“Certamente, mais colisões acontecem enquanto os planetas estão crescendo do que depois. Mas, infelizmente, não podemos obter uma imagem de alta resolução sobre isso para ver o tipo de cratera que pode ser atribuída a possível colisão que fez com que ele começasse a “cair””, concluiu Fraser. [ScienceAlert]

Sou natural de Conceição do Coité, na Bahia e atualmente trabalho com a divulgação científica na internet, principalmente nas páginas Universo Racionalista e Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *