Planetas

Novo vídeo mostra ratos sendo enviados ao espaço

Não existem apenas humanos a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS). Entre as muitas criaturas que acompanharam os astronautas na ISS, como esses roedores astronáuticos lidam com as condições esquisitas das viagens espaciais? Bem, digamos que os ratos na microgravidade são um espetáculo para ser visto.

Um novo estudo, publicado na revista Scientific Reports, levou a um olhar mais extenso sobre o comportamento dos ratos no espaço. Um grupo de 20 ratos foi observado após uma viagem de quatro dias da Terra até a ISS, período em que seu comportamento foi documentado por várias câmeras.

De um modo geral, parece que os ratos são na verdade surpreendentemente bons viajantes espaciais. O vídeo capturado pela tripulação mostraram que os camundongos se envolviam em uma série de comportamentos normais e felizes, como comer, locomoção, autolimpeza e “interações sociais amigáveis”.

“Todos os 20 camundongos que voaram na primeira incursão do Habitat de Roedores da NASA na ISS mantiveram excelente saúde durante a missão”, escrevem os autores do estudo. “Os ratos mostraram níveis consistentes e robustos de atividade física durante a missão”, acrescentaram.

No entanto, após uma semana de viagem espacial, alguns dos ratos mais jovens começaram a exibir um comportamento estranho. Como mostra a filmagem, muitos dos camundongos foram observados realizando loops ao redor da gaiola. O comportamento começou com apenas um rato correndo em volta da gaiola, mas rapidamente se tornou uma atividade de grupo coordenada.

Os pesquisadores não estão totalmente seguros do que os camundongos estavam tentando realizar ao fazer isso, mas note que o comportamento é único no voo espacial e é mais provável que seja realizado devido aos “efeitos recompensadores do exercício físico”.

Esses resultados positivos também são boas notícias para os humanos. Planos para missões tripuladas a Marte estão ficando sérios, então os cientistas estão tentando desesperadamente descobrir os efeitos das viagens espaciais de longo prazo no corpo humano. Os ratos são uma boa forma para isso, mas também têm havido extensos estudos humanos sobre o assunto. [IFLS]

Continue lendo...