Uncategorized

Nova imagem da Via Láctea mostra 800 milhões de estrelas

A primeira vista parece ser um planeta escuro e cortado no centro por uma cicatriz vermelha profunda. Mas aproxime um pouco mais e perceba que você está olhando para algo muito maior que um planeta – maior que 100 bilhões de planetas.

Este é um novo mapa do cosmos, compilado a partir de quatro anos de observações pelo observatório Pan-STARRS em Maui, no Havaí. Escondidas dentro dessa imagem, está a nossa galáxia – que é a grande mancha vermelha no meio – e mais de 800 milhões de estrelas, galáxias e objetos interestelares móveis visíveis do ponto de observação.

Em breve, observadores em todo o mundo terão a chance de estudar cada um desses objetos em detalhes, graças ao que os cientistas da Universidade do Havaí chamaram de a maior divulgação de dados astronômicos da história.

Claro, não é o universo inteiro visível na imagem – apenas o céu visível sobre o Havaí. Em parceria com o Space Telescope Science Institute em Baltimore, nos EUA vão estar lançando 1,6 bilhão de petabytes de dados registrados pelo telescópio Pan-STARRS desde 2010. Esse enorme despejo de dados equivale a cerca de 2 bilhões de selfies, ou 30.000 vezes o conteúdo total de texto da Wikipedia.

O observatório Pan-STARRS consiste de um telescópio de 1,8 metros equipado com uma câmera de 1,4 bilhões de pixels. O Pan-STARRS foi o primeiro instrumento de pesquisa a observar o céu inteiro visível do Havaí várias vezes em muitos tipos de ondas de luz. Um dos objetivos da pesquisa é identificar objetos móveis, transitórios e variáveis, incluindo asteroides que poderiam ameaçar a Terra. A pesquisa levou aproximadamente quatro anos para ser concluída, varrendo o céu 12 vezes em cinco filtros de luz diferentes. [LiveScience]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.