Planetas

Corredor de gelo é encontrado na maior lua de Saturno

Titã é a maior lua de Saturno e a segunda maior do Sistema Solar. É um mundo frio com uma atmosfera espessa, onde o metano líquido desce e forma lagos e rios. A análise mais recente dos dados da Cassini destaca uma estrutura inesperada nunca vista antes.

Pesquisadores descobriram um corredor de rocha de 6,3 mil quilômetros de extensão, rico em gelo, sobre a superfície da lua. Este corredor se estende por um comprimento equivalente a 40% do equador de Titã e é encontrado principalmente em torno da região tropical do satélite natural.

A equipe, liderada pela professora Caitlin Griffith, estava procurando evidências de criovulcanismo, estruturas geológicas que iriam erupcionar gelo como vulcões na Terra ejetam lava. Uma única região, chamada Sotra, é conhecida por apresentar características criovólicas e pesquisadores queriam encontrar evidências desses criovulcões. Em vez disso, conforme relatado na revista Nature Astronomy, eles encontraram esse enorme corredor de gelo.

Três orientações do globo de Titã. O corredor gelado é mapeado em azul. (Créditos: NASA/JPL-Caltech)

“Este corredor gelado é intrigante, porque não se correlaciona com quaisquer características da superfície nem medições da subsuperfície”, disse Griffith, da Universidade do Arizona. “Dado que o nosso estudo e trabalhos anteriores indicam que Titã é atualmente não vulcanicamente ativo, o traço do corredor é provavelmente um vestígio de seu passado”, concluiu.

Griffith e sua equipe usaram 13.000 imagens espectrais coletadas pela missão Cassini e uma técnica chamada análise de componentes principais. Isso permitiu que obtivessem visões incríveis sobre a composição superficial e subterrânea de Titã. Os pesquisadores encontraram depósitos orgânicos diversos e intrigantes em certas regiões, formados pela interação entre a luz solar e compostos na atmosfera.

Tanto o corredor gelado quanto os depósitos orgânicos parecem ter se formado em uma época passada da lua, mas suas propriedades podem nos ajudar a entender a evolução atual de Titã. Um mistério permanente é a fonte de metano da lua. O metano é decomposto pela luz solar e se acumula na superfície como moléculas complexas. Os lagos de metano contribuem evaporando, mas parece não ser suficiente. Os pesquisadores esperavam encontrar esses criovulcões que liberam depósitos subterrâneos de metano, mas como eles não parecem estar lá, o mistério continua.

Os pesquisadores agora planejam explorar os pólos com essa técnica. É onde a maioria dos lagos de metano residem. [IFLS]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.