Astrofísica

Cientistas acreditam ter fotografado o nascimento de um buraco negro

Em junho de 2018, astrônomos ficaram confusos com uma supernova excepcionalmente brilhante, mas também muito curta. Dada a designação AT2018cow, ficou conhecida apenas como The Cow. Provas agora foram apresentadas sugerindo que testemunhamos as origens de uma estrela de nêutrons ou de um buraco negro. Ambos os tipos de objetos podem ser produzidos por uma supernova comum, mas esse evento era definitivamente algo especial.

Imagem do evento TheCow.

As supernovas são espantosamente rápidas em termos astronômicos, atingindo seu pico em duas ou três semanas e caem ao longo de poucos meses. A TheCow foi ainda mais rápida, decaindo em poucos dias. “Isso foi o suficiente para deixar todo mundo animado porque era tão incomum”, disse Raffaella Margutti, da Universidade Northwestern,. Em um período de 16 dias, a The Cow chegou quase à invisibilidade óptica.

Em escalas cosmológicas, a “Vaca” estava relativamente próxima, acontecendo em uma galáxia anã a meros 200 milhões de anos-luz de distância. Perto o suficiente para detectarmos partículas expelidas no evento.

Nos últimos tempos, testemunhamos a fusão de duas estrelas de nêutrons em uma variedade de dispositivos, e também detectamos as ondas gravitacionais dos buracos negros colidindo. Uma hipótese inicial para TheCow era que ela representava algo desse tipo, mas Margutti encontrou traços de hidrogênio e hélio no resplendor, eliminando essa explicação, uma vez que tais eventos propostos produziriam elementos mais pesados.

“Sabemos, a partir da teoria, que buracos negros e estrelas de nêutrons se formam quando uma estrela morre, mas nunca os vimos logo depois de nascerem”, ela disse. A cientista ainda acha que a luz que vimos foi o gás das camadas externas da estrela girando ao redor, possivelmente atraídas para o horizonte de eventos de um buraco negro ou presas em um giro de estrela de nêutrons altamente magnetizado.

Apesar das evidências fornecidas por Margutti, alguns participantes permanecem abertos à teoria de que vimos um buraco negro comendo uma estrela. Eventos que podem ter se assemelhado a TheCow foram vistos antes, mas eles estavam a distâncias maiores, e nós não os estudamos na faixa de comprimentos de onda que Margutti conseguiu, deixando-nos com menos ideia do que realmente aconteceu. [IFLS]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.