Planetas

Astrônomos descobrem uma nova minilua na órbita da Terra

Nos céus acima da Terra, os astrônomos do Catalina Sky Survey descobriram o que poderia ser uma companheira para a Terra: um asteroide capturado temporariamente pela gravidade do nosso planeta, o que chamamos de “minilua”. É nomeado 2020 CD3, com um tamanho provável entre 1,9 e 3,5 metros de diâmetro e sua trajetória indica que está em órbita há cerca de três anos.

Registro da minilua. (Créditos: Kacper Wierzchos)

Os arredores próximos à Terra são lugares relativamente movimentados, cheios de asteroides passando rapidamente. Os números precisos, no entanto, não são claros. As estimativas colocam o número em milhões, mas em 25 de fevereiro, o número confirmado de asteroides descobertos era de apenas 22.211.

Isso ocorre porque os asteroides são realmente pequenos, não sabemos onde eles estão (por isso não sabemos para onde olhar), e eles geralmente não emitem muita luz, mesmo quando refletem a luz do sol.

Você pensaria que, com tantas rochas voando ao redor, elas seriam absorvidas pela gravidade da Terra o tempo todo. Bem, isso acontece, mas a maioria delas não fica tempo suficiente para se tornar miniluas.

Essas rochas espaciais capturadas brevemente dirigem-se diretamente para a atmosfera, onde são queimadas na entrada, tornando-se espetaculares bolas de fogo ou eles percorrem uma órbita parcial antes que sua velocidade as leve para longe. De acordo com uma simulação de supercomputador feita em 2012, incluindo 10 milhões de asteroides virtuais, apenas 18.000 foram capturados na órbita da Terra. Portanto, eles não são apenas difíceis de detectar, são super raros.

Então 2020 CD3 é extremamente importante. Não apenas porque sua raridade faz dele uma espécie de celebridade cósmica, mas porque miniluas oferecem uma oportunidade emocionante para a exploração de asteroides. Enviar naves espaciais para asteroides é um empreendimento caro e demorado, e geralmente envolve grandes distâncias. Se um asteroide está apenas pairando ao redor da Terra, isso tornaria um alvo muito mais fácil.

É provável que seja tarde demais para explorar 2020 CD3 especificamente, infelizmente. De acordo com uma simulação orbital, nosso pequeno amigo temporário estará saindo da órbita da Terra em abril de 2020. É possível, no entanto, que a simulação esteja incorreta, portanto a observação está em andamento.

De qualquer maneira, estudando a estranha órbita da nossa nova minilua, podemos aprender mais sobre como esses objetos são capturados pela Terra e como podemos procurá-los melhor no futuro.

Traduzido e adaptado de ScienceAlert
Por Michelle Starr

Continue lendo...