Asteroide raríssimo passou próximo da Terra

Novas observações feitas pelos três dos maiores radiotelescópios do mundo revelaram que um asteroide descoberto no ano passado é, na verdade, dois objetos, cada um com cerca de 900 metros de tamanho, orbitando um ao outro.

Os asteroides.

O asteroide Near-Earth 2017 YE5 foi descoberto com observações fornecidas pelo Morocco Oukaimeden Sky Survey em 21 de dezembro de 2017, mas nenhum detalhe sobre as propriedades físicas do astro era conhecido até o final de junho. Este é apenas o quarto asteroide binário de “massa igual” já detectado, consistindo em dois objetos quase idênticos em tamanho, orbitando um ao outro. As novas observações fornecem as imagens mais detalhadas já obtidas desse tipo de asteroide binário.

Em 21 de junho de 2018, o asteroide 2017 YE5 fez sua maior aproximação à Terra por pelo menos os próximos 170 anos, chegando a 6 milhões de quilômetros do planeta, ou cerca de 16 vezes a distância entre a Terra e a Lua. Nos dias 21 e 22 de junho, observações do radar da NASA na Califórnia mostraram os primeiros sinais de que o YE5 de 2017 poderia ser um sistema binário. As observações revelaram dois objetos distintos, mas a orientação do asteroide não permitia aos cientistas ver se os dois corpos estavam separados ou unidos. Eventualmente, os dois objetos giraram para expor uma lacuna distinta entre eles.

As novas observações obtidas entre 21 e 26 de junho de 2018 indicam que os dois objetos giram em torno um do outro uma vez a cada 20 a 24 horas. Isto foi confirmado com observações de luz visível das variações de brilho feitas por Brian Warner no Center for Solar System Studies em Rancho Cucamonga, Califórnia.

Imagens de radar mostram que os dois objetos são maiores do que seu brilho ótico combinado, indicando também que as duas rochas não refletem tanta luz solar quanto um asteroide rochoso típico. Então, 2017 YE5 é provavelmente tão escuro quanto carvão.

A descoberta da natureza binária do YE5 2017 fornece aos cientistas uma importante oportunidade para melhorar a compreensão esses corpos peculiares. A análise do radar combinado e observações ópticas pode permitir aos cientistas estimar as densidades dos objetos YE5 2017, o que irá melhorar a ideia de sua composição e estrutura interna, e de como eles se formaram. [SpaceAnswers]

Natural de Conceição do Coité, na Bahia, estudante de Comunicação Social, com ênfase em Rádio e TV, trabalha com divulgação científica na internet e é o fundador do projeto Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *