Estrelas

Após ficar em silêncio, estrela volta a emitir sinais de rádio

Depois de mais de uma década esperando pacientemente e observando, os astrônomos viram sinais de uma das estrelas mais raras conhecidas pela ciência. É chamada de XTE J1810-197, e é parte de um clube exclusivo de estrelas estranhas – é um dos quatro magnetares altamente magnéticos que foram encontrados emitindo ondas de rádio. Pelo menos, até uma década atrás, quando misteriosamente a estrela ficou quieta.

Esses próprios magnetares são incrivelmente estranhos. Eles são essencialmente estrelas “mortas” que, por razões que não entendemos completamente, têm campos magnéticos insanamente poderosos. Para colocar isso em perspectiva, essas estrelas incrivelmente densas e colapsadas podem gerar campos magnéticos que são cerca de 1 quatrilhão de vezes mais poderosos que os da Terra. Então, sim, são estranhas.

Atualmente sabemos de 23 magnetares, mas o XTE J1810-197 é algo totalmente diferente. Enquanto os magnetares explodem em alta energia, XTE J1810-197 e apenas três outras estrelas que encontramos pulsam ondas de rádio.

E então, no final de 2008, suas ondas de rádio de repente ficaram em silêncio e continuaram assim, até que… Desde 8 de dezembro do ano passado, pesquisadores da Universidade de Manchester e do Max-Planck-Institut fur Radioastronomie vêm monitorando uma nova corrente de emissões de rádio deste incomum objeto cósmico.

Curiosamente, o perfil desse novo ritmo de ondas de rádio mostra algumas diferenças bem grandes desde que foram notadas pela primeira vez há muitos anos. “As variações de pulso vistas até agora da fonte foram significativamente menos intensas, em escalas de tempo de horas a meses, do que as vistas anteriormente”, relatou a equipe de pesquisa.

O problema é que ainda não sabemos muito sobre magnetares. Eles parecem se formar da mesma maneira que uma estrela de nêutrons média, começando com o núcleo em colapso de uma estrela moribunda, apertando átomos para que seus núcleos sejam pressionados de ponta a ponta.

A coisa estranha sobre o XTE J1810-197 é que um ano depois que ele brilhou brevemente em raios X, os astrônomos notaram que ele estava suspirando em pulsos de ondas de rádio muito mais suaves. Observações iniciais notaram que estava emitindo radiação eletromagnética de baixa energia a cada cinco segundos e meio.

Talvez todos os magnetares produzam ondas de rádio de maneira semelhante e só vemos poucos? Talvez haja algo especial sobre o XTE J1810-197 e os outros três magnetares emissores de rádio? Indo neste novo estudo, os astrônomo buscarão mais respostas para esse mistério cósmico, e, quem sabe, saberemos de fato a peculiaridade desse tipo de objeto. [ScienceAlert]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.