Telescópio Hubble registra a estrela mais distante já observada

Os astrônomos observaram uma estrela que está tão distante, que sua luz levou 9 bilhões de anos para chegar até nós aqui na Terra – cerca de 4,5 bilhões de anos antes que o nosso sistema solar existisse.

E enquanto os cientistas observaram galáxias ainda mais distantes, que são visíveis devido à luz de suas bilhões de estrelas, essa esfera de hélio, apelidada de Ícaro, é a estrela individual mais distante que a humanidade já observou.

Aqui podemos ver a estrela.

Aqui podemos ver a estrela.

Os astrônomos da Universidade da Califórnia usaram um método chamado lente gravitacional, que é baseado na ideia de que um objeto massivo dobra o tecido do espaço-tempo em si.. Feixes de luz passam sobre o espaço-tempo curvo e serão dobrados de formas particulares. Acontece que os astrônomos podem ver a imagem distorcida resultante de tal lente gravitacional, e essa imagem é ampliada.

“A massa curva a luz que passa perto dela”, disse Kelly, ex-aluno de pós-doutorado da Universidade de Berkeley. “Se um objeto de fundo estiver bem alinhado, o efeito pode dobrar uma fração maior de sua luz em direção à Terra, ampliando-o e fazendo com que pareça mais brilhante”, concluiu Kelly.

Kelly, que foi o autor principal de um novo estudo descrevendo as descobertas, avistou a estrela distante Ícaro enquanto olhava para as imagens do Telescópio Espacial Hubble de uma supernova que havia sido registrada através de uma lente gravitacional.

“Em maio de 2016, uma estrela no aglomerado de galáxias MACS J1149+2223 também ficou temporariamente alinhada e teve o efeito de aumentar a ampliação de Ícaro para 2.000 vezes”, disse Kelly.

Ao calcular de volta como essas lentes teriam impactado a luz de Ícaro, os astrônomos descobriram que a estrela é uma supergigante azul, mais quente e mais massiva do que o nosso Sol. A estrela também pode ser centenas de milhares de vezes mais brilhante. [LiveScience]

Natural de Conceição do Coité, na Bahia, estudante de Comunicação Social, com ênfase em Rádio e TV, trabalha com divulgação científica na internet e é o fundador do projeto Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *