Planetas

Sonda revela o formato real do objeto Ultima Thule

Uma nova sequência de imagens impressionantes da nave espacial New Horizons, da NASA, oferece uma visão única de um objeto do Cinturão de Kuiper, apelidado de Ultima Thule – o mundo mais distante já explorado. A NASA garante que essas não serão as últimas imagens deste astro, na verdade, muitas mais estão por vir.

As imagens revelam a parte oculta do Ultima Thule.

As imagens recém-lançadas também contêm informações científicas importantes sobre a forma do Ultima Thule, que está se transformando em uma das principais descobertas da sonda. “Esta é realmente uma sequência de imagens incrível, registrada por uma nave espacial explorando um pequeno mundo a seis bilhões de quilômetros da Terra”, disse Alan Stern, do Southwest Research Institute.

As primeiras imagens aproximadas de Ultima Thule – com seus dois segmentos distintos e aparentemente esféricos – estavam fazendo as pessoas chamá-lo “boneco de neve”. No entanto, essas análises recentes mudaram essa visão, revelando que ambas as partes não são esféricas, mas sim levemente planas, lembrando, na verdade, uma “panqueca” gigante.

“Seria mais próximo da realidade dizer que a forma de Ultima Thule é mais plana, como uma panqueca. Mas ainda mais importante, as novas imagens estão criando enigmas científicos sobre como tal objeto poderia ser formado. Nunca vimos algo assim”, disse Stern.

Real formato do Ultima Thule.

As imagens deste estudo foram tiradas de um ângulo diferente das fotos anteriores de aproximação para revelar informações complementares sobre a forma do objeto.  A sonda usou um tempo de exposição relativamente longo para aumentar o nível de sensibilidade da câmera. E baseado nas estrelas de fundo, observando quais estrelas “piscavam” à medida que o objeto passava na frente delas, os cientistas delineavam a forma de ambos os segmentos.

“Esses novos resultados mostram claramente que Ultima e Thule é muito mais plano do que se acreditava originalmente, e muito mais plano do que o esperado”, acrescentou Hal. Weaver, cientista do projeto New Horizons, do Laboratório de Física Aplicada Johns Hopkins. “Isso com certeza motivará novas teorias de formação planetária no início do sistema solar”, concluiu ele. [NASA]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.