Astrofísica

Raios cósmicos de alta energia estão vindo de fora da galáxia

Os raios cósmicos de alta energia, que atingem o nosso planeta não vêm da Via Láctea – eles realmente estão vindo  de outras galáxias muito distantes. A equipe conseguiu identificar a localização desses raios que têm energias um milhão de vezes maiores do que os prótons acelerados no Grande Colisor de Hádrons (LHC). Isso resolve um mistério de 100 anos.

Screenshot_5

“Os raios cósmicos de energia ultra alta são muito raros”, disse o professor Karl-Heinz Kampert da Universidade de Wuppertal, na Alemanha. “Os raios cósmicos de energia mais baixa são certamente produzidos em nossa própria galáxia. Mas há algo diferente com de o alta energia. Nenhum objeto em nossa galáxia pode produzi-los”, concluiu.

Os raios cósmicos são partículas energética que atravessam a galáxia para chegar até nós. Os raios de energia mais baixos, 100 vezes a energia dos prótons no LHC, são produzidos por estrelas comuns, enquanto de energias mais elevadas podem ser produzidas por supernovas ou outros buracos negros supermassivos. No entanto, ainda não sabemos o que causa os raios de energia ultra-alta.

Eles são conhecidos por causar alguns problemas de saúde para os astronautas, como a chance de desenvolver câncer, quebrando e mutando o DNA enquanto ionizam átomos em nossos corpos. Os astronautas podem até ver os raios cósmicos quando dormem, enquanto passam pelos olhos.

Felizmente, os raios cósmicos de energia ultra-alta são tão raros que não representam uma grande ameaça. Você provavelmente só irá interagir com um apenas uma vez na sua vida.

Não importa a energia, eles são incapazes de chegar à superfície da Terra. Mas quando eles atingem nossa atmosfera, eles produzem uma cascata de elétrons que podemos detectar e identificar onde os raios iniciais vieram.

O próximo passo é descobrir o que os está causando. No momento, não temos uma boa teoria para a sua fonte. A equipe está planejando estudar essas galáxias e tentar identificar se há algo incomum sobre elas. [IFLS]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.