Planetas

O famoso objeto interestelar não é o que parece ser

O primeiro visitante interestelar conhecido do nosso Sistema Solar, com o nome de ‘Oumuamua, passou pelo Sol em setembro passado, e primeiro foi considerado um cometa e depois um asteroide. Agora, uma nova equipe de pesquisadores liderada pela Agência Espacial Europeia emitiu seu veredicto: ‘Oumuamua, de acordo com a análise deles, é provavelmente um cometa.

Concepção artística do objeto.
Concepção artística do objeto.

Ele foi descoberto pela primeira vez em 19 de outubro do ano passado, 40 dias depois de já ter feito sua aproximação mais próxima do Sol, e imediatamente deixou os cientistas agitados. Sua velocidade indicava que ele vinha de algum lugar distante do nosso Sistema Solar – e que ele viajou por centenas de milhões de anos pelo espaço.

Descobrir se era asteroide ou um cometa, no entanto, se provou extraordinariamente complicado. Inicialmente, com base em observações preliminares, os astrônomos pensaram que era um cometa. Mas os cometas contêm gelo, cuja sublimação cria a cauda à medida que se aproximam do Sol.

‘Oumuamua não mostrou nenhuma das características associadas aos cometas. Ele era de cor avermelhada e não mostrava sinais de poeira ao redor – indicando que era composto de rocha e metais densos, avermelhados pela radiação cósmica e não continha água ou gelo.

Mas, segundo o astrônomo da ESA Marco Micheli e colegas, há mais um aspecto que parece indicar seriamente um cometa, e que ainda não tinha sido considerado: A trajetória de Oumuamua.

A equipe internacional analisou tanto as observações baseadas no solo quanto no espaço de ‘Oumuamua, que atravessou nosso Sistema Solar, e encontraram algo estranho. Sua órbita não poderia ser explicada apenas pelo efeito da gravidade exercido pelo Sol ou por outros objetos. O que significa que parece estar se comportando como um cometa.

Quanto à falta de poeira citada como razão para a designação de asteroide para Oumuamua, a equipe observou que isso poderia ser explicado por uma distribuição atípica de tamanho de grão de poeira, uma baixa relação poeira-gelo ou mudanças na superfície do objeto.

Pode ser realmente impossível dizer se ‘Oumuamua é um cometa ou um asteroide baseado em nossas observações atuais. No entanto, ele está se afastando de nós com rapidez e, provavelmente, perdemos a oportunidade para enviar uma sonda para estudá-lo. Mas, se houver uma próxima vez – outro visitante interestelar no futuro – nosso entendimento poderia se beneficiar muito com o conhecimento antecipado e a infraestrutura para que pudéssemos interceptá-lo com uma sonda. [ScienceAlert]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.