Eventos Astronômicos

Evento astronômico registrado há 250 anos foi o maior de todos os tempos

Os cientistas dizem que uma aurora vermelha observada em Kyoto, no Japão, há 250 anos, pode ter sido a maior tempestade geomagnética já registrada na história. Outro evento como esse aconteceu também em 1859, mas fica em segundo lugar em intensidade.

Pesquisadores do Instituto Nacional de Literatura Japonesa de Tóquio (NIJL) e do Instituto Nacional de Pesquisa Polar (NIPR) examinaram uma pintura de um manuscrito japonês chamado Seikai, que incluiu comentários sobre uma aurora vermelha acima de Kyoto, em 17 de setembro de 1770.

Registro da aurora em 1770.
Registro da aurora em 1770.

Usando cálculos astrométricos do céu noturno de como teria aparecido naquela época, eles podiam verificar a geometria da aurora em comparação com a pintura e o que estava escrito. Eles descobriram que a tempestade seria comparável ao evento de Carrington em 1859, ou mesmo um pouco maior. Eles estimam que a tempestade de 1770 foi de 3 a 10% maior do que a de 1859.

“O entusiasmo e a dedicação dos astrônomos amadores no passado nos proporciona uma oportunidade emocionante”, disse Kiyomi Iwahashi, da NIJL. “O diário foi escrito por um kokugakusha (erudito da antiga cultura japonesa), e fornece uma descrição sofisticada da aurora vermelha, incluindo uma descrição da posição da aurora em relação à Via Láctea”, concluiu ele.

Os pesquisadores também conseguiram obter uma melhor restrição em quanto tempo durou esta tempestade de 1770, sugerindo que foi até nove dias. Os desenhos de manchas solares do tempo mostram que a área coberta do Sol por elas era duas vezes maior do que o normal.

As tempestades geomagnéticas são causadas quando as erupções solares enviam partículas na nossa direção, e elas interagem com a nossa atmosfera. Elas podem causar um distúrbio temporário da nossa magnetosfera, que nos dias modernos pode afetar os satélites e também produzir auroras poderosas.

“Foi uma sorte para nós que a tempestade de 1770 tenha precedido nossa dependência da eletricidade”, disse Ryuho Kataoka da NIPR.

Em seu artigo, os pesquisadores observam que o evento de setembro de 1770 e o evento de setembro de 1859 ocorreram  com 100 anos de intervalo, mas agora estamos há 150 anos desde o último evento. Isso significa que provavelmente estamos atrasados para uma tempestade poderosa.

Não estamos completamente despreparados, é claro. O Centro de Previsão do Tempo do Espaço (SWPC), nos Estados Unidos informa as pessoas quando devem estar atentos às fortes tempestades e fechar os satélites ou as estações de energia adequadamente. Inclusive houve uma proposta para lançar um enorme escudo magnético no espaço para desviar as partículas solares recebidas. [IFLS]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.