Esta rocha extraterrestre contém algo nunca visto na Terra

A pedra de Hypatia, como é sabido, não é apenas de origem extraterrestre. Contém compostos micro-minerais que nunca foram vistos em qualquer lugar da Terra, que não se encontram em outros meteoritos, e não se sabe que existam em qualquer lugar no Sistema Solar.

hypatia-stone-fragments

É uma descoberta que levanta algumas questões sobre a formação do Sistema Solar. Em 2013, os pesquisadores anunciaram que a pedra de Hypatia, encontrada no sudoeste do Egito, não havia vindo da Terra.

A análise subsequente revelou que a pedra cheia de diamantes não era de qualquer cometa ou meteorito conhecido – suas características combinadas eram únicas entre os materiais extraterrestres já encontrados.

Agora, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Joanesburgo analisou a matriz carbonosa da pedra e encontrou falta de matéria silicática que a separa de outros materiais interplanetários que caíram na Terra.

As pedras são apenas pequenos fragmentos de uma rocha original, que estima-se possuir vários metros de diâmetro. No entanto, a composição revela muito sobre o todo. Os meteoritos não-metálicos são chamados de condritos e, compositivamente, são muito parecidos com pedras da Terra, com uma pequena quantidade de carbono e muito silício.

Hypatia é o oposto, com muito carbono e pequenas quantidades de silício.

Mas outras descobertas foram ainda mais peculiares. Os pesquisadores encontraram o alumínio em sua forma metálica pura – algo que raramente acontece.

Eles também encontraram carboneto de silício (também conhecido como moissanite) e fosforeto de iodo de prata em formas altamente inesperadas. E um composto principalmente de fósforo e níquel, sem ferro – uma composição mineral nunca antes vista na Terra e também em materiais extraterrestres.

Em conjunto, essas características sugerem que a Hypatia é feita de materiais inalterados que antecedem o Sol – mas que a própria pedra foi formada logo após o surgimento da estrela, porque você precisa de uma nuvem densa como uma nebulosa solar para formar objetos maiores.

“Nós sabemos muito pouco sobre as composições químicas de objetos espaciais por aí. Então nossa próxima pergunta vai mais adiante em de onde Hypatia veio”, disse Jan Kramers, pesquisador principal. [ScienceAlert]

 

Natural de Conceição do Coité, na Bahia, estudante de Comunicação Social, com ênfase em Rádio e TV, trabalha com divulgação científica na internet e é o fundador do projeto Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *