Eventos Astronômicos

Cientistas podem ter achado a origem do objeto interestelar

Podemos ter observado o primeiro objeto interestelar no sistema solar no mês passado. Agora, os cientistas acreditam que podem ter descoberto sua origem. O objeto A/2017 U1 – agora apelidado de Oumuamua, em havaiano “primeiro mensageiro” – provocou grande animação quando foi detectado em outubro. Seu caminho em torno do Sol sugere que ele veio de outro sistema planetário.

Três pesquisadores acreditam que ele pode ter vindo de um aglomerado estelar a aproximadamente 277 anos-luz de distância. Acredita-se que pode ter sido lançado de um sistema planetário nesse aglomerado há cerca de 40 milhões de anos, e mais deles poderiam estar a caminho.

Imagem do objeto.Imagem do objeto.

Eles chegaram a esta conclusão depois de analisar os dados da missão Gaia da ESA, que está tentando rastrear o movimento de 1 bilhão de estrelas em nossa galáxia. Eles então tentaram rastrear os candidatos que poderiam explicar o movimento de A/2017 U1.

Em nossos estudos sobre o objeto até agora, vimos a falta de coma e gelo, sugerindo que é um asteroide e não um cometa. Isso sugere que ele se formou relativamente para dentro em seu sistema planetário, dentro da “linha de gelo” onde o gelo pode se formar. Em nosso Sistema Solar, isso está além da órbita de Marte.

Eles também são capazes de restringir o tamanho do planeta que lançou esta pedra em nossa direção. Poderia ter sido uma super-terra, algumas vezes o tamanho do nosso planeta ou um gigante de gás 20 ou 30 vezes a massa da Terra.

Como mencionado, este pode não ser o único visitante de outros mundos. Outro artigo sugere que poderia haver muitos outros objetos interestelares entrando em nosso Sistema Solar que já perdemos antes, mas poderemos vê-los no futuro.

Este artigo diz que quando um novo telescópio chamado Telescópio de Levantamento Sinóptico Grande (LSST) no Chile começa uma pesquisa de todo o céu em 2022, poderíamos ver pelo menos um objeto interestelar em nosso Sistema Solar todos os anos.

Este objeto é uma das maiores descobertas recentes no espaço, e você pode apostar que haverá mais estudos sobre isso em breve. E talvez, possamos esperar mais alguns visitantes interestelares no futuro. [IFLS]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.