Astrofísica,Galáxias

Astrônomos resolveram o mistério da galáxia sem matéria escura

Uma enorme descoberta que era incompatível com nossas atuais teorias de matéria escura e formação de galáxias pode ter sido finalmente resolvida.

Após uma nova análise, os astrônomos determinaram que a galáxia NGC1052-DF2 – encontrada no ano passado que parecia não conter absolutamente nenhuma matéria escura – está muito mais perto de nós do que os cálculos anteriores estimados. O que significa que provavelmente tem matéria escura, afinal.

Galáxia NGC1052-DF2. (Créditos: Telescópio Espacial Hubble)

A matéria escura é um grande ponto de interrogação (?) sobre o Universo. Nós não sabemos o que é, e não podemos detectá-la diretamente, mas sabemos que existe lá fora, criando o mesmo efeito que massa visível no Universo.

Objetos em galáxias, por exemplo, se movem mais rápido do que deveriam com base na massa que podemos detectar diretamente, e por isso é bem provável que alguma força indetectável está gerando mais gravidade do que podemos considerar com matéria normal – é aí que talvez esteja a matéria escura.

Este material é fundamental para nossa compreensão do universo. Acreditamos que isso ajudou estrelas e galáxias a se formarem a partir da sopa primordial que existia logo após o Big Bang, e que isso ajuda a impedir que as coisas nas galáxias voem para o espaço sem rumo. E o nosso modelo de formação de galáxias atual depende disso.

A matéria escura, portanto, parece ser um ingrediente bastante crítico e, de fato, até a descoberta da NGC1052-DF2, todas as galáxias pareciam ter pelo menos algumas “gramas” dela. De fato, a maioria parece ter mais matéria escura do que a matéria normal.

Assim, uma equipe internacional de pesquisadores liderada pelo Instituto de Astrofísica de Canárias (IAC) decidiu dar uma olhada mais de perto. E eles descobriram que todas as medidas anômalas na pesquisa anterior que apontavam para a ausência de matéria escura dependiam da distância até a galáxia – 64 milhões de anos-luz de distância.

Isso lhes deu algo para trabalharem. Usando cinco métodos separados, incluindo fotometria do Telescópio Espacial Hubble e do Observatório Gemini, eles recalcularam a distância para NGC1052-DF2. Cada método apresentou o mesmo resultado – o NGC1052-DF2 está muito próximo de 64 milhões de anos-luz de distância. De acordo com os cálculos múltiplos da equipe, uma distância mais precisa seria em torno de 42 milhões de anos-luz.

Com base nessa nova distância, a massa da galáxia é cerca de metade do que se pensava ser anteriormente – e a massa das estrelas é apenas cerca de um quarto do que a análise anterior sugeria. Então, não só a galáxia tem menos massa, mas a proporção de matéria normal dentro dessa massa é menor. Isso implica que o resto deve ser composto de – você adivinhou! – matéria escura.

Este não é o fim da história, pelo contrário, ainda estamos para ver se um problema semelhante também afeta a NGC1052-DF4, uma galáxia calculada como próxima a DF2 a cerca de 63 milhões de anos-luz de distância, que aparentemente também não tem matéria escura. Os pesquisadores por trás dessa última descoberta já estão trabalhando nisso, e parece que um resultado bem parecido está chegando. Vamos aguardar, afinal, a ciência é uma coisa linda. [ScienceAlert]

Continue lendo...