Astrônomos detectam sinais de rádio incrivelmente poderosos

Até agora, março têm sido um mês ocupado para os cientistas que tentam vislumbrar os eventos de rádio, como as explosões de rádio rápidas (FRBs). Os astrônomos detectaram recentemente três desses eventos do FRB, incluindo os mais brilhantes já registrados.

Os FRBs são enormes emissões de ondas de rádio que duram alguns milissegundos. Eles acontecem em todo o céu. Até agora, os pesquisadores detectaram 33 FRBs e, enquanto os astrônomos estão obtendo uma melhor compreensão deles, ainda há muito o que não sabemos.

extra_large-1520945476-cover-image

Todos os três dos últimos sinais foram detectados no telescópio de rádio Parkes do CSIRO na Austrália Ocidental. O primeiro, FRB 180301, foi detectado em 1º de março. O FRB 180309 foi detectado 8 dias depois e o FRB 180311 apenas dois dias atrás. O FRB 180309 é particularmente interessante porque é mais de 4,5 vezes mais brilhante do que a nossa melhor detecção.

“Em primeiro lugar, eles exibem uma varredura de frequência que sugere que eles estão incrivelmente longe: bilhões de anos-luz. Os FRBs viajam bilhões de anos para chegar até nós, e apenas duram alguns milissegundos, sugerindo que o mecanismo de emissão é de curta duração. Para que possamos detectá-los claramente depois de uma jornada tão longa, eles também devem ser insanamente brilhantes”, disse o cientista Danny Price, em um artigo sobre os FRBs.

 

Sendo tão brilhantes, eles devem ser produzidos por alguns eventos incrivelmente poderosos. Foram sugeridos os buracos negros e estrelas de nêutrons, pois poderiam liberar níveis tão dramáticos de energia em um evento único. A origem da única explosão de rádio repetida, conhecida como FRB 121102, tem a ver com estrelas de nêutrons. No entanto, alguns pesquisadores pensam que todos os FRBs repetem e é apenas uma questão de esperar por eles.

As estimativas sugerem que 10 000 FRBs podem ser detectados na Terra todos os dias. Infelizmente, devido a recursos limitados, apenas uma pequena fração destes são realmente detectados. [IFLS]

Natural de Conceição do Coité, na Bahia, estudante de Comunicação Social, com ênfase em Rádio e TV, trabalha com divulgação científica na internet e é o fundador do projeto Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *