Exoplanetas

Astrônomos descobrem exoplaneta que devora luz

O exoplaneta WASP-12b não parece ser um bom lugar para se visitar. Uma nova pesquisa descobriu que a maior parte da luz que se dirige para ele não aparece novamente, tornando-o um gigante do gás preto. O planeta, descoberto em 2008, está a apenas 1400 anos-luz da Terra e tornou-se um dos mais estudados fora do nosso sistema solar.

Apelidado de “Júpiter quente”, o gigantesco planeta gasoso 40 vezes mais maciço do que Júpiter, orbita extremamente próximo da sua estrela hospedeira. Na verdade, é tão próximo que completa uma órbita em pouco menos de um dia terrestre.

Concepção artística do exoplaneta.
Concepção artística do exoplaneta.

A apenas 3,2 milhões de quilômetros de sua estrela – 46 vezes menor do que a distância média entre o Sol e a Terra -, sua rotação corresponde à sua órbita, isso significa que um lado está sempre enfrentando sua estrela, perpetuamente no dia, e o outro está sempre de noite.

E os pesquisadores descobriram que realmente, o exoplaneta é preto. Ele absorve pelo menos 94% da luz em sua atmosfera, o que significa que é mais escuro que asfalto.

“Nós não esperávamos encontrar um exoplaneta tão escuro”, disse Taylor Bell, o pesquisador principal e da Universidade McGill e do Instituto de Pesquisa sobre Exoplanetas no Canadá. “Normalmente, os Jupiters quentes refletem cerca de 40% da luz das estrelas”, concluiu.

O exoplaneta possui 2600 °C, e é tão quente que as moléculas de hidrogênio são divididas em hidrogênio atômico, fazendo com que a atmosfera desse lado do planeta se comporte mais como a de uma estrela de baixa massa. O WASP-12b é a prova de como o Universo sempre pode nos surpreender. [ScienceAlert]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.