Estrelas

A NASA pode ter descoberto o porquê da atmosfera do Sol ser mais quente do que a superfície

Imagens retratadas de um observatório espacial da NASA estão ajudando a resolver um mistério dos cientistas desde a década de 1940: por quê a atmosfera exterior (a corona) do Sol, é mais quente do que a superfície visível?

Na superfície visível do Sol, as temperaturas são de cerca de 5,500 graus Celsius, mas na corona, as temperaturas são de cerca de 200 a 500 vezes mais quente.

Agora, com base em observações da missão IRIS (Interface Region Imaging Spectrograph), os pesquisadores da NASA acham que a corona é parcialmente aquecida por ‘bombas de calor’, causadas por explosões de energia de campos magnéticos.

(Foto: NASA).
(Foto: NASA).

A IRIS é capaz de analisar a região de transição solar – a área entre a superfície do Sol e a corona – e pode medir o movimento do gás quente em detalhes sem precedentes.

Como o IRIS pode visualizar a região de transição 10 vezes melhor do que os instrumentos anteriores, pudemos ver material quente indo para cima e para baixo nos campos magnéticos na corona baixa.”, explica a pesquisadora Paola Testa, do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics.

“Isto é compatível com os modelos da Universidade de Oslo, em que a reconexão magnética desencadeia bombas de calor na corona.”

Esta reconexão magnética, onde o calor e a energia é liberada, é também responsável por outros fenômenos, como as chamas solares.

Desde o seu lançamento em 2013, o IRIS – que funciona como uma lupa para estudar as bordas da atmosfera do Sol – nos deu uma visão melhor do que está realmente acontecendo com este tipo de atividade solar.

O físico solar Bart De Pontieu, do Laboratório de Astrofísica Solar da Lockheed Martin, disse que a tecnologia da IRIS continuará fornecendo conjuntos de dados muito melhores do que os cientistas anteriormente tinham. [ScienceAlert].

Giovane Santana

Sou baiano, tenho 16 anos e sou fascinado pelo Cosmos.