Astrofísica,Galáxias

Todas as galáxias no universo compartilham algo surpreendente

Há uma quantidade surpreendente de ordem neste universo caótico nosso, mas isso é bastante estranho – os astrônomos descobriram que todas as galáxias, independentemente do tamanho, levam cerca de um bilhão de anos para completar uma rotação completa.

Isso significa que o material na borda externa de uma galáxia leva aproximadamente um bilhão de anos para completar uma órbita no centro da galáxia (no caso da Via Láctea, esse centro é o Sagitário A *, um buraco negro supermassivo). “Mas, independentemente de uma galáxia ser muito grande ou muito pequena, se você puder se sentar na extremidade do seu disco enquanto gira, levaria cerca de um bilhão de anos até o fim”, explicou o pesquisador principal Gerhardt Meurer, da Universidade da Austrália Ocidental e do Centro Internacional de Pesquisa de Radioastronomia (ICRAR).

m101pinwheel_1024

Curiosamente, porque todas as estrelas em nossa galáxia orbitam o centro a mais ou menos a mesma velocidade, objetos mais próximos do centro da galáxia não levam tanto tempo para orbitar a Sgr A*. É por isso que um ano cósmico – o tempo necessário para que nosso Sistema Solar complete uma órbita – seja apenas de 225 a 250 milhões de anos .

É aí que vem a teoria da matéria escura – porque simplesmente não há uma massa observável suficiente dentro da Via Láctea para explicar esse efeito, a menos que tenhamos uma profunda incompreensão da gravidade, ou há uma massa que não podemos ver. A descoberta da equipe significa que, para galáxias menores, o material precisa se mover mais devagar, pois tem menos distância para cobrir na mesma quantidade de tempo.

Os pesquisadores mediram as velocidades radiais de hidrogênio em cerca de 130 galáxias, desde galáxias anãs pequenas e irregulares até galáxias espirais enormes. Essas medidas permitiram que a equipe calculasse o tempo que cada galáxia levava para completar uma rotação – e todos eram mais ou menos um bilhão de anos.

A equipe observou que seu estudo pode estar sujeito a viés de seleção – que, de todas as galáxias do Universo, talvez por acaso tenham escolhido apenas as que mostraram as mesmas características. Será necessário um estudo adicional para determinar se os resultados são universais. [ScienceAlert]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.