Astrofísica

O buraco negro da Via Láctea emitiu um sinal de luz misterioso

O buraco negro supermassivo no coração da Via Láctea é conhecido como Sagitário A*, e é relativamente calmo. Não é um núcleo ativo, lançando luz e calor no espaço ao redor. Na maior parte do tempo, a atividade do buraco negro é baixa, com flutuações mínimas em seu brilho.

Recentemente, os astrônomos capturaram o momento em que seu brilho cresceu 75 vezes mais do que o normal. É o pico mais brilhante que já vimos no Sgr A* em comprimentos de onda próxima ao infravermelho.

Variação no brilho nas proximidades do buraco negro. (Créditos: Reprodução)

“Fiquei bastante surpreso no começo e depois muito animado”, disse o astrônomo Tuan Do, da Universidade da Califórnia em Los Angeles. “O buraco negro fiou tão brilhante que eu inicialmente confundi com a estrela S0-2, porque eu nunca tinha visto Sgr A* tão brilhante daquela forma. Nos próximos quadros, porém, ficou claro que a fonte era variável e tinha que ser o buraco negro”, concluiu.

Mas o que causou? Isso é o que os astrônomos estão em uma missão para descobrir. Do e sua equipe realizaram observações do centro galáctico usando o Observatório WM Keck, no Havaí durante quatro noites no início deste ano. O estranho clareamento ocorreu em 13 de maio, e a equipe conseguiu capturá-lo em um intervalo de tempo, duas horas condensadas em alguns segundos.

Brilho misterioso do buraco negro da Via Láctea (Créditos: Reprodução)

Esse ponto brilhante logo no começo do vídeo é a poeira e o gás girando em torno de Sgr A*. Os próprios buracos negros não emitem nenhuma radiação que possa ser detectada pelos nossos instrumentos atuais, mas o que acontece nas proximidades acontece quando as forças gravitacionais do buraco negro geram uma imensa fricção, produzindo radiação.

Quando vemos essa radiação com um telescópio usando o alcance do infravermelho, isso se traduz em brilho. Normalmente, o brilho do Sgr A* cintila um pouco como uma vela, variando de minutos a horas. Mas quando os arredores de um buraco negro brilham intensamente, é um sinal de que algo pode ter chegado perto o suficiente para ser agarrado por sua gravidade.

A equipe está reunindo dados para tentar chegar a algo, mas há duas possibilidades imediatas. Um é o G2, um objeto que se acredita ser uma nuvem de gás que se aproximou em 36 horas-luz do Sgr A* em 2014. Se fosse uma nuvem de gás, essa proximidade deveria ter rasgado em pedaços, e partes dela devoradas pelo buraco.

Mas dê uma olhada no timelapse novamente. Ver esse ponto brilhante perto do buraco negro? Isso é a S0-2, uma estrela em uma longa órbita elíptica de 16 anos em torno de Sgr A*. No ano passado, ela fez sua aproximação mais próxima, chegando a 17 horas-luz do buraco negro.

“Uma das possibilidades é que a estrela S0-2, quando passou perto do buraco negro no ano passado, mudou a forma como o gás flui para o buraco negro, e assim mais gás está caindo sobre ele, levando-o a se tornar mais variável”, disse Do.

A única maneira de descobrir é ter mais dados. Eles estão atualmente sendo coletados em uma ampla faixa de comprimentos de onda. Mais observações ocorrerão nas próximas semanas com o Observatório Keck, antes que o centro da galáxia não seja mais visível à noite da Terra. [ScienceAlert]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.