Estrelas

Como as supernovas mais brilhantes se tornam superluminosas

A supernovas são alguns dos eventos mais brilhantes do Universo, e alguns delas são tão brilhantes que obtêm sua própria classe. Essas ‘supernovas superluminosas’ (SLSNe) são muito perplexas para os cientistas, mas um grupo de astrônomos trabalham para descobrir suas origens.

extra_large-1480335778-cover-image

Usando sofisticadas simulações computacionais, a equipe descobriu que os SLSNe que carecem de hidrogênio estão rodeados por densas nuvens de carbono e oxigênio. Quando as estrelas realmente explodem, essas nuvens são iluminadas pelas ondas de choque da supernova, produzindo a luminosidade aumentada que observamos.

Supernovas geralmente se tornam um bilhão de vezes mais brilhante do que a estrela que costumava ser e, em seguida, eles brilham por algumas semanas antes de escurecer novamente. Estes SLSNe podem ser entre 10 e 100 vezes mais luminosos do que uma supernova regular, e permanecem mais brilhantes por mais tempo.

O estudo analisou o caso de dois SLSNe específicos chamados SN 2010gx e PTF09cnd. Em ambos os casos, acredita-se que a estrela esteja cercada por uma densa nuvem próxima feita de material ejetado.

Esta é apenas uma primeira abordagem para resolver o mistério destes eventos incrivelmente brilhantes. A simulação simplifica o problema significativamente, e pode haver algumas sutilezas nos movimentos turbulentos do material que atualmente está faltando na explicação.

Outra questão é que, de acordo com o modelo mais provável, essas estrelas não são apenas pobres em hidrogênio, mas também pobres em hélio. As teorias da evolução estelar argumentam fortemente contra uma estrela que perdeu todo o seu hélio.

A equipe argumentou que futuras observações deveriam fornecer informações suficientes sobre a composição do hélio para ajudar a aperfeiçoar os modelos e expandir o que sabemos sobre as supernovas superluminosas. [IFLSience].

Giovane Santana

Sou baiano, tenho 16 anos e sou fascinado pelo Cosmos.