Eventos Astronômicos

Astrônomos encontram filamento estranho no centro da Via Láctea

Os astrônomos encontraram um instantâneo e claro “fio” de 2,3 anos-luz em torno do buraco negro supermassivo no centro da Via Láctea. A própria estrutura foi descoberta em 2012, mas a nova imagem revela que a longa linha parece ser bastante ligada com o coração escuro da nossa galáxia. Enquanto um olhar mais atento ajuda a reduzir as possibilidades sobre o que poderia ser, os astrônomos ainda estão longe de ter uma resposta sólida.

Uma pequena equipe de pesquisadores produziu a imagem usando dados do National Radio Astronomy Observatory (NRAO), aplicando uma nova técnica de imagem para ajudar nos detalhes. Talvez para a maioria de nós, o resultado pareça um pouco assustador, mas para os astrônomos, é uma algo emocionante implorando por uma resposta.

base

“Parte da emoção está em um mistério que não é fácil de resolver”, diz o astrônomo Jun-Hui Zhao. “Embora ainda não tenhamos a resposta, o caminho para encontrá-la é fascinante. Este resultado pode motivar os astrônomos a construir a nova geração de telescópios de rádio com tecnologia de ponta”, concluiu.

Encontrar fluxos longos de gás ou linhas de partículas brilhantes que se estendem por regiões do espaço não é tão incomum. Estruturas como esta – também conhecidas como um filamento de rádio não-térmico (NRF) – já foram observadas flutuando no meio da nossa galáxia anteriormente. A maioria é muito mais longa, mas suas origens ainda são um mistério.
Inicialmente, suspeitava-se que elas tivessem algo a ver com os campos magnéticos da Via Láctea, mas como mais filamentos foram descobertos fluindo em direções estranhas, essa ideia logo foi jogada na lixeira.

O que torna este particularmente incomum é que parece estar fazendo “cócegas” no horizonte de eventos de Sagitário A, o buraco negro gigantesco 4 milhões de vezes mais massivo que o nosso Sol e que ocupa o meio da nossa galáxia.

A hipótese preferida entre os astrônomos sugere que o fio é feito de partículas sendo descartadas longe do buraco negro. A outra possibilidade, menos provável (e mais emocionante), é que é realmente um objeto hipotético conhecido como uma corda cósmica .

É pensado que as cordas cósmicas são defeitos “topológicos” unidimensionais imensamente maciços que se formam entre diferentes partes do vácuo à medida que o espaço se expande. Em outras palavras, eles são como fendas no espaço que se formaram quando nosso Universo infantil estava se esticando

Dado que essas coisas devem ser absolutamente maciças, se houver cordas cósmicas, o meio de uma galáxia seria um bom lugar para procurar algumas. Até agora, não sabemos com certeza, então os astrônomos ainda estão reunindo mais evidências para descartar qualquer uma das hipóteses.

Mas seja o que for, descobrir a natureza do filamento estranho será muito bom para a astronomia. Se forem partículas sendo tiradas de Sagitário A, isso nos ensinaria mais sobre campos magnéticos nesta zona altamente caótica. Enquanto isso, detectar uma corda cósmica na natureza seria uma descoberta profunda, uma que nos diz muito sobre a própria natureza do Universo e suas origens. [ScienceAlert]

Continue lendo...