Astrofísica

5 coisas que você não sabia sobre Interestelar

Há quem diga que este é o melhor filme de ficção científica da atualidade – e com razão. Dirigido por Christopher Nolan, Interestelar é um filme que se passa em um momento não muito bom da Terra, onde o planeta está sendo devastado por pragas em todas as plantações. Sem solução aparente, os alimentos tendem a acabar em pouco tempo e a única solução é encontrar uma outra casa no universo. Adentrando o espaço profundo, quatro astronautas embarcam na missão para encontrar um novo planeta para a humanidade.

Este é, sem sombras de dúvidas, um filme mais próximo da realidade. Seguindo premissas reais da física, separamos alguns fatos interessantes e científicos sobre Interestelar.

1 – Poderá ser usado em universidades

Foi investido tanto na representação do Gargantua, o buraco negro mostrado no filme, que as imagens podem ser usadas em universidades. Não é atoa que o longa foi inspirado e teve ajuda do físico teórico Kip Thorne.

2 – Aquilo não é uma simples onda

Lembra da cena que uma “onda” se aproxima dos astronautas no planeta de Miller? Pois bem, a montanha de água do planeta é constante. Acontece que a atração gravitacional do buraco negro estica tanto o planeta que forma aquela abundância de água. Esse também é provavelmente o motivo do planeta ser tão raso e os astronautas conseguirem andar, afinal, boa parte da água é concentrada na “montanha”.

3 – Cada segundo, um dia

Ainda neste planeta, a trilha sonora traz um tique-taque constante, antes da montanha de água aparecer. O filme é tão genial que cada toque desse dura 1,25 segundo e representa um dia inteiro se passando na Terra. Afinal, caso você se não se lembre, cada hora neste planeta é equivalente a 7 anos na Terra.

4 – Usando o mínimo de computação gráfica

O diretor foi tão afrissurado em fazer algo próximo da realidade, que são pouquíssimas cenas em fundo verde usando computação gráfica. A cena da tempestade foi feita colocando uma câmera no bico de um avião que realmente voou dentro de uma tempestade para fazer a cena ser o mais real possível.

5 – As tempestades de poeira na Terra também são “reais”

O reais entre as aspas querem dizer que ao mesmo tempo que não foi criada em computador, a equipe de produção levou ventiladores gigantes que recriar realmente uma mini tempestade de poeira.

Viu só? Interestelar é a prova de como a ficção pode não ser tão ficção assim. Como diriam algumas pessoas: Interestelar, 3 horas de filme com gostinho de quero mais. Se você ainda não viu, não perca tempo.

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.