Astrobiologia

Cientistas acabam de descobrir água em asteroide

Atualmente há duas missões coletando material de asteroides, a Hayabusa-2 e OSIRIS-REx. Mas antes delas, havia a Hayabusa (a original), que trouxe de volta pequenas amostras de rochas espaciais para serem analisadas na Terra em 2010.

O último conjunto de testes realizados nos deu uma nova visão importante sobre as amostras. Pesquisadores da Universidade Estadual do Arizona (ASU) descobriram que o asteroide Itokawa tem materiais ricos em água. Asteroides como este, de acordo com os pesquisadores, podem ser responsáveis ​​por ter trazido até a metade da água do oceano do nosso planeta.

As duas amostras de Itokawa que contêm água. (Créditos: JAXA)

A equipe encontrou o mineral piroxênio em duas das cinco amostras. Na Terra, esse mineral contém moléculas de água em sua estrutura cristalina e os pesquisadores esperavam que esse também fosse o caso de Itokawa, apesar do esperado ressecamento do asteroide.

Itokawa é um asteroide em forma de amendoim com diâmetro máximo de 535 metros. Tem uma história bastante intensa: ele sofreu vários impactos, aquecimento, choques e fragmentações. Esses eventos certamente aumentariam a temperatura do asteroide e levariam a uma perda de água, o que como vemos, não acontece. E encontrar água tem implicações importantes para a classe de asteroides aos quais Itokawa pertence (os S-types).

“Os asteroides do tipo S são um dos objetos mais comuns no cinturão de asteroides”, explicou o professor Maitrayee Bose, co-autor do estudo. “Eles originalmente se formaram a uma distância do Sol de um terço a três vezes a distância da Terra”, concluiu.

O mistério da origem da água da Terra é fascinante. Enquanto parte da água foi liberada por processos vulcânicos, acredita-se que uma grande fração tenha vindo do espaço. Cometas e asteroides do tipo C, que se formaram mais além do sistema solar e são ricos em gelo, foram considerados os causadores da água na Terra. [IFLS]

Alexsandro Mota

Nordestino, um grande amante da astronomia e divulgador científico há quase uma década. Sou o criador do projeto Mistérios do Espaço e dedico meu tempo a tornar a astronomia mais acessível.