Nova hipótese sobre a gravidade passa em seu primeiro teste

A controversa nova hipótese, que sugere que a nossa compreensão sobre a gravidade está errada, acaba de passar em um primeiro teste significativo.

Proposta pela primeira vez em 2010, a nova hipótese afirma que a gravidade pode comportar-se muito diferente da forma como Einstein previu, e um estudo independente de mais de 30.000 galáxias já encontrou a primeira evidência que sustente isso.

 
A hipótese é referida como “Verlinde’s hypothesis of gravity”. E se ela for comprovada, pode modificar completamente mais de um século de física – incluindo se livrar da matéria escura completamente.

O problema com a nossa compreensão atual da gravidade – mesmo que seja amplamente aceita pela comunidade da física – é que ela não chega a contar tudo o que vemos no Universo. E os pesquisadores vêm mostrando que há mais gravidade no nosso Universo, do que pode ser produzido por toda a matéria visível lá fora.

Esta inconsistência foi explicada assumindo a presença de matéria escura – uma força misteriosa no universo que não podemos ver. Mas apesar de décadas de pesquisa e muitos principais candidatos para uma partícula de matéria escura, os pesquisadores estão ainda mais perto de realmente detectar esta substância invisível.

A abordagem de Verlinde, por outro lado, diz que não precisa que a matéria escura exista em tudo, só precisamos repensar a gravidade.

Nos últimos seis anos, esta hipótese não foi experimentada. Mas agora uma equipe de pesquisadores da Universidade de Leiden, na Holanda testou pela primeira vez, e ela têm mostrado alguns indícios de que poderia realmente ser real. A equipe, liderada por Margot Brouwer, olhou para a distribuição da matéria em mais de 33.000 galáxias, e disse que o que eles viram pode realmente ser explicado sem matéria escura se eles usarem hipótese da gravidade de Verlinde.

O teste envolveu estudar algo chamado de efeito de lente gravitacional, ou seja, forma como as galáxias mais próximas de nós se curvam a luz de galáxias mais distantes.

É importante ressaltar que este é apenas um teste, e que vai demorar muito mais do que isso para jogar fora mais de um século de estudos sobre a gravidade e matéria escura. “A questão agora é ver como a teoria se desenvolve, e como ela ainda pode ser testada”, disse Brouwer. “Mas o resultado deste primeiro teste foi definitivamente interessante”, concluiu ele. [ScienceAlert]

Sou natural de Conceição do Coité, na Bahia e atualmente trabalho com a divulgação científica na internet, principalmente nas páginas Universo Racionalista e Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *