Foi detectado um sinal poderoso vindo do centro da Via Láctea

A matéria escura é uma das maiores revelações da física moderna. Mesmo que não tenha sido detectada diretamente, no entanto, sabemos que representa cerca de cinco sextos da matéria total do universo.

Em um novo estudo publicado na revista Physics of the Dark Universe, a matéria escura também pode ser destruída. E uma assinatura de aniquilação de matéria escura poderia revelar inúmeras coisas.

Durante uma pesquisa para achar essa “assinatura”, uma equipe de pesquisadores encontram um sinal extremamente forte vindo do centro da nossa galáxia. Uma possibilidade é que este sinal energético possa estar sendo originado a partir de uma partícula da própria matéria escura colidindo com a sua antimatéria equivalente, destruindo umas as outras no processo.

No entanto, a equipe percebeu que havia muitos outros eventos celestes que poderiam produzir este tipo de explosão. Tais como estrelas de nêutrons, a fusão de buracos negros, ou até mesmo supernovas.

Os pulsares são um tipo de estrela de nêutrons, que giram a velocidades inconcebíveis e emitem feixes de radiação eletromagnética. Se o sinal foi produzido por um pulsar, ele meio que estaria no “lugar errado”, já que os pulsares são normalmente encontrados perto de outros aglomerados de estrelas. E depois de uma análise cuidadosa, a equipe concluiu que a região do centro galáctico era improvável para existir pulsares. E por isso, a opção mais forte é que a explosão pode ter vindo da destruição da matéria escura.

Um bilhão de partículas de matéria escura passam pela sua mão a cada segundo, e por isso seria bom saber do que elas são feitas e como funcionam. [IFLS]

Sou natural de Conceição do Coité, na Bahia e atualmente trabalho com a divulgação científica na internet, principalmente nas páginas Universo Racionalista e Mistérios do Espaço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *